Brasil e EUA são as duas maiores comunidades cristãs do mundo


Culto em uma igreja
Culto em uma igreja

Os dois países que figuram entre as 25 nações com o maior número de cristãos passaram por um processo de colonização europeia, entre eles os Estados Unidos e o Brasil.

Com cerca de 2.2 bilhões de seguidores no mundo, o Cristianismo é a maior religião do planeta.

A evangelização começou com a ordem de Jesus em Marcos 16:15: “E disse-lhes: Ide por todo o mundo, pregai o evangelho a toda criatura.”

Com um chamado ministerial específico para pegar aos gentios, o apóstolo Paulo assume essa tarefa, dada a ele por Jesus, segundo relata o livro de Atos, capítulo 9.

Assim, o Cristianismo se espalhou por regiões do Oriente Médio, Ásia e Europa, inclusive em Roma, centro do poderoso império que dominava parte dessas regiões. E depois, para o mundo, por meio de colonizações e missões.

Paulo e a expansão do Evangelho

Claudio Modesto, que trabalha em conexão ao NCMI (New Covenant Ministries International) através da NCMI BRASIL, lembra que o IDE continua.

Em sua próxima viagem obra missionária à África, Modesto irá aos seguintes países: Uganda, Ruanda, Bukavu (na República Democrática do Congo) e Kitale (no Quênia).

Modesto, que também é colunista do site cristão Guiame, lembra que, depois de Jesus, as duas figuras mais significativas do Cristianismo são os apóstolos Pedro e Paulo (antes Saulo). Paulo, em particular, assume um papel de liderança na divulgação dos ensinamentos de Jesus aos gentios (não judeus) no Império Romano.

“Nas décadas após a morte de Jesus, o apóstolo Paulo escreveu muitas cartas que agora fazem parte do Novo Testamento da Bíblia cristã. Paulo era cidadão romano e enviou essas cartas a pequenas comunidades de cristãos que viviam em todo o Império Romano”, explica.

“As cartas nos mostram que Paulo e seus companheiros cristãos ainda estavam descobrindo exatamente o que significava ser cristão e a cada dia se mostravam mais apaixonados por Jesus fazendo com que o evangelho fosse espalhado rapidamente”, declara.

O Brasil e a obra missionária

A evangelização se espalhou pelo mundo através da colonização e da obra missionária, da qual o Brasil passou a fazer parte, levando a Palavra de Deus para diversas partes do mundo.

Para o colunista do Guiame, Ediudson Fontes, as histórias de missões é algo que nos faz refletir sobre o desafio que temos ainda pela frente. “A obra da evangelização é de nossa responsabilidade”, afirma.

“Os nossos irmãos batistas, presbiterianos, congregacionais, metodistas e outros, possuem histórias na área missionária que merecem ser destacadas. Todavia, no século XX, são os pentecostais que aparecem no cenário evangélico da evangelização global”, diz.

O continente africano é alvo de trabalhos missionários ligados à igreja americana e europeia, e mais recentemente, também recebe missionários do Brasil, como a Missão Mãos Estendidas.

A MME atua há mais de 22 anos na África com um trabalho extenso em campo: são mais de 350 igrejas em 4 nações, localizadas principalmente no interior da África. Só em Moçambique, são mais de 200 igrejas.

“Temos aqui cerca de 200 pastores de aldeias de Moçambique e Zimbabwe. São pastores que estão em lugares bem diferentes da realidade que conhecemos”, afirma o pastor Elias Caetano, presidente da MME.

Povos não alcançados

A definição de povos não alcançados se refere ao grupo de pessoas onde há menos de 2% de evangélicos entre eles. Isso pode compreender quase 42% da população mundial, segundo o East-West, um ministério de evangelismo global.

Os grupos de pessoas considerados “menos alcançados” somam mais de 3 bilhões, segundo a organização Joshua Project, que atua no alcance maior do evangelismo global.

Par ajudar a transformar essa realidade, evangelistas se esforçam e enfrentam riscos reais de vida para expandir o Evangelho nessas localidades.

Evangelista norueguês, Leif Hetland tem chamado missionário para pregar ao mundo muçulmano. Em entrevista exclusiva ao Guiame, ele disse que chegar a países como Afeganistão e Iraque para levar o Evangelho é como entrar em uma tempestade, mas o esforço vale a pena.

“Somos uma família de famílias apaixonadas pela busca e expansão do Reino de Deus. Estamos comprometidos em construir uma família global através do amor, enquanto buscamos apresentar um Deus que se parece com Jesus”, explica Hetland.

A seguir, os três países das Américas com o maior número de cristãos.

  1. Estados Unidos: 230 milhões de cristãos

No país vivem 230 milhões de cristãos. O Cristianismo é a religião mais popular, com a maioria sendo do segmento protestante/evangélico. O Cristianismo se fixou no país ainda sob o domínio britânico, com alguns estados, como a Pensilvânia, sendo estabelecidos como refúgios cristãos.

Com a independência política, também veio a independência religiosa. Isso trouxe a proliferação das igrejas protestantes, que resistiam à influência da igreja católica nos EUA.

Denominações como Batistas, Metodistas, Presbiterianas, Assembleia de Deus e um grande número de outras independentes estão espalhadas e enraizadas por todo o país, que também se dedicaram a enviar missionários às nações.

Deus é visto como um ser supremo em todas as denominações, e a Bíblia é considerada como um livro sagrado. Os Estados Unidos não possuem uma religião estatal, e a constituição garante liberdade de culto a todos.

O número de cristãos no país tem se reduzido, e o número de pessoas não afiliadas a nenhuma religião organizada está crescendo.

  1. Brasil – 180 milhões de cristãos

O Brasil tem a maior população de cristãos na América Latina, entre católicos e evangélicos, mas o país deve passar a ser majoritariamente evangélico ainda este ano, segundo demógrafo.

“O Vaticano está perdendo o maior país católico do mundo – é uma perda enorme, irreversível”, disse José Eustáquio Diniz Alves, um importante demógrafo brasileiro e pesquisador titular do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), falando ao Wall Street Journal.

A constituição brasileira garante liberdade de culto no país, e há muitas igrejas protestantes reconhecidas e históricas, que incluem luteranos, batistas, metodistas e assembleianos.

  1. México – 107 milhões de cristãos

Ainda na América Latina, dentre os países com o maior número de cristãos se encontra o México, onde a maioria são católicos. A prevalência de todas as formas de Cristianismo, no México, é de 92%. A religião tem sua origem na colonização espanhola.

O protestantismo se enraizou entre o século XIX e XX. No país, o cristianismo é geralmente tolerante, e as diferentes religiões convivem em harmonia. A constituição do México estabelece a separação entre o estado e a igreja, e há liberdade de culto no país.

O crescimento do secularismo está reduzindo o número de cristãos. O cristianismo evangélico está crescendo, e o católico diminuindo.

Outros países de grande população cristã são: Filipinas (86 milhões), Rússia (entre 66 e 99 milhões), Congo (63 milhões), Etiópia (52 milhões), Itália (53 milhões) e Alemanha (47 milhões).

Fonte: Guia-me com informações de Socientifica



Loading...

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Vamos supor que você esteja bem com isso, mas você pode optar por não participar, se desejar. Aceito Leia Mais