Burkina Faso: paróquias fechadas após ‘explosão’ do terrorismo islâmico


Líderes cristãos têm sido mortos em ataques frequentes em Burkina Faso (foto representativa)
Líderes cristãos têm sido mortos em ataques frequentes em Burkina Faso (foto representativa)

Algumas paróquias em Burkina Faso foram tão atacadas que foram forçadas a fechar, alertou o grupo católico Ajuda à Igreja que Sofre (ACN, sigla em inglês).

A caridade católica disse que a Diocese de Fada N’Gourma, no leste de Burkina Faso, está enfrentando uma “situação terrível” após uma “explosão” do terrorismo islâmico.

Ele relatou um aumento de roubos, sequestros e assassinatos em toda a diocese, onde 95% das aldeias não têm mais nenhum pároco por causa do número de ataques terroristas.

De acordo com os números da ACN, 155 das 532 aldeias da diocese estavam acessíveis para o trabalho pastoral em setembro de 2021. Em abril deste ano, esse número caiu para apenas 29.

Cinco das 16 paróquias da diocese foram forçadas a fechar por causa dos ataques. Em sete paróquias, o ministério da igreja principal foi restringido porque os terroristas controlam as rotas terrestres e destruíram as redes de comunicação telefônica.

Houve outros relatos de jihadistas entrando em igrejas e forçando membros masculinos e femininos da congregação a sentarem-se separadamente.

Caroline Hull, diretora nacional da ACN (Reino Unido), disse: “É de partir o coração que tantos fiéis em Burkina Faso tenham que ficar sem acesso ao pároco por causa das ações dos terroristas.

“A ACN procura atender às necessidades espirituais e materiais daqueles que apoiamos, por isso faremos tudo o que pudermos para ajudar as comunidades cristãs que sofrem na diocese de Fada N’Gourma”.

Hull alertou que o jihadismo está crescendo em toda a África, mas especialmente na região do Sahel, onde está localizado Burkina Faso.

O aumento do jihadismo viu um aumento correspondente na perseguição aos cristãos, disse ela: “Cristãos são assassinados, pessoas são sequestradas, mulheres são estupradas e tratadas terrivelmente”.

O Dr. Hull está pedindo à comunidade internacional que esteja vigilante.

“A comunidade internacional precisa ficar de olho neste novo epicentro do terrorismo porque, se não for controlado, pode se tornar incrivelmente perturbador, não apenas para a África, mas também para o resto do mundo”, disse ela.

Folha Gospel com informações de The Christian Today



Loading...

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Vamos supor que você esteja bem com isso, mas você pode optar por não participar, se desejar. Aceito Leia Mais