Cerca de 400 igrejas batistas na Ucrânia estão ‘perdidas’ após invasão russa, diz presidente de seminário


O Seminário Batista Ucraniano já acolheu mais de 4 mil refugiados. (Foto: Ukrainian Baptist Theological Seminary)
O Seminário Batista Ucraniano já acolheu mais de 4 mil refugiados. (Foto: Ukrainian Baptist Theological Seminary)

Cerca de 400 igrejas batistas sediadas nas partes ocupadas da Ucrânia deixaram de existir devido à invasão russa, de acordo com um presidente de seminário que vive no país do Leste Europeu.

Yaroslav Pyzh, presidente do Seminário Teológico Batista Ucraniano (UBTS, sigla em inglês) em Lviv, disse à Baptist Press que “cerca de 400 igrejas batistas” foram “perdidas”.

O líder do seminário confirmou o número de congregações perdidas ao The Christian Post e descreveu como ele chegou a essa estimativa.

“Esta estimativa vem de territórios que foram ocupados ou estão ocupados”, explicou. “Além disso, inclui algumas das igrejas onde pastoreio e as pessoas simplesmente se mudam para fora do país. Além disso, este é o número que a União Batista da Ucrânia está usando.”

Pyzh definiu “perdida” como significando “as igrejas que deixaram de existir por causa de circunstâncias relacionadas à guerra”, com isso às vezes significando que “os prédios são destruídos”, mas, em última análise, que em “todos os casos, as pessoas deixaram”, ou estão sendo “deslocadas na Ucrânia ” ou se mudaram para “outros países”.

O presidente do seminário sugeriu que a filiação denominacional das igrejas pode ter sido um fator na hostilidade que eles enfrentaram, já que os russos são conhecidos por considerar os batistas como “agentes do Ocidente”.

“Mas, na maioria dos casos, as pessoas estavam saindo porque é impossível viver nos territórios devastados pela guerra”, acrescentou Pyzh.

Em 24 de fevereiro, a Rússia invadiu sua vizinha Ucrânia, alegando que estava tentando proteger o território no leste da Ucrânia que havia declarado independência. Desde então, as Nações Unidas estimam que mais de 10 milhões de refugiados fugiram da Ucrânia.

Embora os militares russos tenham números e recursos superiores, os ucranianos ofereceram resistência mais dura do que o esperado sob a liderança do presidente Volodymyr Zelenskyy.

Muitas igrejas foram danificadas ou destruídas devido à agressão russa no leste da Ucrânia.

Em junho, foi relatado que o Mosteiro de Todos os Santos de Svyatogorsk Lavra, um mosteiro ortodoxo histórico que existe desde 1500, foi destruído pela artilharia russa.

Dan Upchurch, um missionário da Junta de Missões Internacionais da Convenção Batista do Sul que serve na Europa Oriental, disse que algumas igrejas se separaram devido à guerra”, mas “outros líderes da igreja que se mudaram e estão trabalhando para estabelecer ou restabelecer igrejas, incluindo líderes que trabalham para reunir crentes dispersos”.

“Apesar do caos que a guerra produziu, muitas igrejas em toda a Ucrânia viram novas pessoas se convertendo nos últimos seis meses e sendo batizadas neste verão”, afirmou Upchurch.

Pyzh acredita que o “maior desafio desta guerra” não será “reconstruir prédios e infraestrutura”, mas reconstruir “capacidade de liderança”.

“Acredito que Deus colocou a UBTS no lugar certo na hora certa com as pessoas certas”, afirmou Pyzh. “Esta crise também trouxe muitas novas oportunidades. Muitas pessoas novas assumirão a posição de liderança. Para a UBTS, [a] missão [é] mais clara do que nunca para treinar e equipar líderes. É isso que faremos .”

Conforme indicado em seu site, a UBTS “interrompeu as aulas e agora está usando todas as suas instalações para fornecer ajuda humanitária às pessoas que estão fugindo para o oeste de L’viv – a maioria mulheres e crianças”.

A UBTS forneceu mais de 250 toneladas de ajuda humanitária para 10 regiões da Ucrânia, além de atender mais de 10.000 refugiados em Lviv e servir mais de 420.000 refeições desde o início da invasão.

Folha Gospel com informações de The Christian Post



Loading...

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Vamos supor que você esteja bem com isso, mas você pode optar por não participar, se desejar. Aceito Leia Mais