Cristãos podem ser menos de 50% da população dos EUA até 2070, revela pesquisa


Cristão adorando a Deus durante a turnê
Cristão adorando a Deus durante a turnê “God Loves You” de Franklin Graham em Springfield, Missouri, em setembro de 2021 nos EUA.

A porcentagem de americanos que se consideram cristãos pode cair de 64% para menos de 50% até 2070 se as tendências atuais continuarem, de acordo com um novo relatório do Pew Research Center. A porcentagem de pessoas que se descrevem como ateias, agnósticas ou “nada em particular” também pode chegar a 40%, segundo o relatório.

O relatório, Modeling the Future of Religion in America (Modelando o futuro da religião na América), combina décadas de dados do Pew com dados do General Social Survey para apresentar quatro modelos hipotéticos do futuro da fé nos EUA.

O Pew estima que, em 2020, 64% de todos os americanos (incluindo crianças) eram cristãos.

No entanto, em todos os quatro modelos, essa porcentagem diminuirá. De fato, em três dos quatro modelos, o número cai abaixo de 50%. (Os quatro modelos do Pew mostram o cristianismo caindo para 54%, 46%, 39% ou 35%).

Enquanto isso, a porcentagem dos tão discutidos “nenhum” – aqueles que se consideram ateus, agnósticos ou “nada em particular” – aumentará dos atuais 30% para 34%, 41%, 48% ou 52% até 2070, de acordo com os modelos de Pew.

O relatório observa que todos os modelos são hipotéticos. As diferenças dependem se a mudança religiosa “continua em taxas recentes, acelera ou para completamente”, disse o relatório.

“Todas as projeções partem da atual composição religiosa da população dos EUA, levando em conta as diferenças religiosas por idade e sexo”, disse o relatório. Em seguida, eles levam em consideração as taxas de natalidade e os padrões de migração. Mais importante ainda, eles incorporam taxas variadas de mudança religiosa – movimento dentro e fora de amplas categorias de identidade religiosa – para modelar como seria o cenário religioso dos EUA se a mudança continuasse em seu ritmo recente, continuasse a acelerar (como vem fazendo desde a década de 1990), ou parasse subitamente”.

Os modelos “não pretendem ser previsões do que acontecerá”, disse. Os eventos mundiais, acrescentou o relatório, podem ter um impacto dramático nas tendências religiosas.

“Claro, é possível que eventos fora do modelo do estudo – como guerra, depressão econômica, crise climática, mudanças nos padrões de imigração ou inovações religiosas – possam reverter as atuais tendências de mudança religiosa, levando a um renascimento do cristianismo nos Estados Unidos”. disse Pew. “Mas não há padrões de comutação atuais nos EUA que possam ser levados em consideração nos modelos matemáticos para projetar tal resultado”.

Folha Gospel com informações de Christian Headlines

SIGA O FOLHAGOSPEL NO INSTAGRAM: @FOLHAGOSPEL



Loading...

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Vamos supor que você esteja bem com isso, mas você pode optar por não participar, se desejar. Aceito Leia Mais