Estado Islâmico exige que cristãos se convertam ao Islã ou paguem imposto, em Moçambique


Cristãos em Moçambique. (Foto: Imagem ilustrativa/Facebook/Heidi Baker)
Cristãos em Moçambique. (Foto: Imagem ilustrativa/Facebook/Heidi Baker)

O grupo terrorista Estado Islâmico de Moçambique está exigindo que cristãos se convertam ao islamismo ou paguem um imposto para não serem massacrados.

A ameaça foi feita em uma carta escrita à mão dirigida ao exército moçambicano, cristãos e judeus, de acordo com o Zitamar News.

“Submeta-se ao Islã, pague imposto ou aceite uma guerra sem fim”, afirma a mensagem. “Vamos intensificar a guerra contra vocês até que se submetam ao Islã. Nosso desejo é matá-lo ou ser morto, pois somos mártires diante de Deus, então submeta-se ou fuja de nós”.

O Estado Islâmico também exigiu que “aqueles que se dizem muçulmanos” parem de colaborar com o “governo ateu”, caso contrário, “não há lugar onde você possa se esconder que nós não possamos alcançar”.

A carta com as ameaças foi encontrada em no distrito de Macomia, na província de Cabo Delgado, no norte de Moçambique.

Em 2017, grupos extremistas islâmicos tomaram o controle de Cabo Delgado, uma província rica em recursos naturais, como gás e ouro.

Desde então, milhares de pessoas foram mortas e quase 1 milhão foram deslocados devido a violência.

“O EI começou a incendiar aldeias cristãs e matar aqueles que viviam lá”, relatou o International Christian Concern, organização que monitora a perseguição no mundo.

Conforme o The Washington Post, na região de maioria muçulmana em Cabo, os terroristas sequestram mulheres para serem escravas sexuais e obrigam meninos a atuarem como crianças-soldados.

Em 2014, no Iraque, o Estado Islâmico também emitiu um ultimato a pequena comunidade cristã no norte do país, ordenando que se convertesse ao islã ou pagasse uma multa para que os crentes não fossem mortos.

“Oferecemos a eles três opções: Islã; o contrato dhimma — envolvendo o pagamento de jizya; se recusarem, não terão nada além da espada”, afirmou o grupo, na época.

Perseguição a cristãos em Moçambique

Moçambique é o 41º na Lista Mundial da Perseguição 2022, que classifica os 50 países em que os cristãos são mais perseguidos.

Para os cristãos no país, a opressão islâmica é a forma mais comum de perseguição. De acordo com um parceiro da Portas Abertas, os ataques islâmicos radicais eliminaram a vida de muitos seguidores de Jesus.

A brutalidade dos jihadistas aumentou e um dos grupos extremistas tem ligações com o Estado Islâmico.

Fonte: Guia-me com informações de The Christian Psot



Loading...

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Vamos supor que você esteja bem com isso, mas você pode optar por não participar, se desejar. Aceito Leia Mais