Estudante cristão pode perder licença para praticar psicologia após professores protestarem contra discurso de formatura


Christian Cortez Pérez, é um estudante cristão no México, que se formou em Psicologia.
Christian Cortez Pérez, é um estudante cristão no México, que se formou em Psicologia.

Uma universidade no México iniciou um processo contra um recém-formado em psicologia depois que um grupo de professores expressou preocupação com seu discurso de formatura defendendo a família e a santidade da vida, o que pode lhe custar sua licença para exercer a profissão.

A Universidade Autônoma da Baixa Califórnia recebeu queixas contra o estudante, Christian Cortez Pérez, e iniciou procedimentos formais para proibi-lo de praticar psicologia, disse o grupo de direitos humanos ADF International.

Como o melhor de sua turma na Faculdade de Medicina e Psicologia da universidade, Pérez ganhou o direito de fazer o discurso de formatura em sua cerimônia de formatura em 27 de junho, onde expressou suas profundas convicções morais sobre o estado do mundo hoje e a importância da família e da santidade da vida, entre outras questões.

Alguns alunos e professores protestaram em voz alta e saíram, mas ele continuou e fez seu discurso de formatura na íntegra.

Os professores então emitiram um “manifesto”, chamando seu discurso de “discurso de ódio”. Eles exigiram que seu diploma acadêmico e licença profissional fossem retidos, seu prêmio de mérito retirado e associações de psicologia em todo o México fossem alertadas sobre suas ações.

“Exerci meu direito fundamental à liberdade de expressão para falar aos meus colegas sobre o que acredito serem as questões mais urgentes do nosso tempo”, disse Pérez em resposta à ação da universidade. “Agora, posso perder toda a minha carreira profissional porque expressei pontos de vista com os quais alguns alunos e professores discordam.”

Em resposta ao processo contra ele, Pérez apresentou uma reconvenção para proteger seus legítimos interesses, disse a ADF International, que o apoia, acrescentando que um julgamento da universidade é esperado ainda este mês.

Em seu discurso de formatura, Pérez disse: “Hoje estamos mergulhados em uma verdadeira luta antropológica para redefinir o ser humano, a pessoa humana, o homem, através da implementação de ideologias e modas de pensamento que sempre acabam minando a dignidade e a liberdade”.

Ele então citou o escritor e teólogo leigo inglês GK Chesterton: “As pessoas não sabem o que estão fazendo; porque não sabem o que estão desfazendo”. Pérez acrescentou que “atacar a vida e a família é se autodestruir, é um ataque à própria civilização”. Ele então exortou seus pares a viver em solidariedade uns com os outros, dizendo: “Você tem que amar; ninguém busca o bem do outro se não o ama”.

Kristina Hjelkrem, consultora jurídica da ADF International para a América Latina, disse que Pérez “enfrenta danos irreparáveis ​​à reputação e uma proibição de sua prática profissional, ameaçando tudo pelo que trabalhou em sua carreira” apenas porque exerceu seus direitos humanos básicos e expressou opiniões compartilhadas por muitos.

“Se a campanha para punir Christian for bem-sucedida, isso mostra que qualquer um que se atreva a falar em público no México está em perigo”, acrescentou Hjelkrem. “Esta é uma clara violação da lei internacional de direitos humanos, uma reminiscência de ditaduras, não de democracias.”

Pérez disse que está “comprometido em obter justiça não apenas para mim, mas para todos os mexicanos interessados ​​em preservar o direito de se expressar livremente”.

A ADF International comentou que estudantes e professores de todo o mundo estão sendo submetidos a “campanhas de censura, muitas vezes acompanhadas de processos judiciais, que ameaçam gravemente suas reputações e carreiras”.

Folha Gospel com informações de The Christian Post



Loading...

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Vamos supor que você esteja bem com isso, mas você pode optar por não participar, se desejar. Aceito Leia Mais