Evangélicos são proibidos de celebrar o Dia da Bíblia nas ruas da Nicarágua


Evangélicos na Nicarágua. (Foto: Facebook/Alcaldía de Masaya)
Evangélicos na Nicarágua. (Foto: Facebook/Alcaldía de Masaya)

A repressão do regime de Daniel Ortega está afetando não só a Igreja Católica na Nicarágua, mas também a Igreja Evangélica. A polícia nicaraguense impediu pastores de realizarem um ato comemorativo do Dia da Bíblia, que é celebrado no último domingo de setembro.

A notícia veio a público na quarta-feira (23) pela imprensa local, que informou que a polícia de Ortega proibiu a celebração dos 453 anos da tradução da Bíblia nas ruas do país “por razões de segurança”.

O Conselho Nacional de Pastores Evangélicos da Nicarágua enviou uma carta a líderes cristãos na segunda-feira (19), orientando que as festividades sejam celebradas dentro dos templos, por causa da proibição.

“Através desta carta informamos que devido às orientações das autoridades civis, não será comemorado o 453º aniversário da tradução da Bíblia para o castelhano, eles expressam que o motivo é a segurança dos participantes, por isso convidamos cada um de vocês a realizar suas celebrações em seus templos, elevando orações a Deus para que possamos viver tranquila e pacificamente”, diz o texto.

Em entrevista ao site nicaraguense 100% Noticias, alguns pastores disseram que pediram autorização à Polícia Nacional para um ato público do Dia da Bíblia, mas tiveram a solicitação recusada.

“Se há uma orientação a nível nacional de que não temos autorização para fazer uma marcha ou nenhuma concentração em comemoração ao dia da Bíblia, a mesma coisa que estão fazendo com a Igreja Católica [estão fazendo com os evangélicos], porque estão proibindo toda atividade pública em massa nas ruas”, disse um pastor sob anonimato, por medo de represálias.

Falando ao site Despacho 505 nesta quinta-feira (22), outro pastor disse: “A primeira recusa a comemorar foi recebida no norte do país, na zona de Matagalpa, e ontem à noite soubemos que o desfile nacional que estava marcado para este domingo, 25 de setembro, foi suspenso”.

O pastor explica que o desfile tem sido feito todos os anos na Nicarágua, com trios elétricos, enquanto a Bíblia é lida e louvores são cantados. “Mas não podemos sair para a rua”, disse o pastor anonimamente.

Cristãos no alvo do governo

O pastor acredita que este ato da polícia é um sinal de que a situação pode se tornar ainda pior na Nicarágua. “Que Deus nos livre, mas perseguições como a que estão fazendo contra nossos irmãos padres e bispos podem vir [contra os evangélicos]”, destacou.

A Polícia da Nicarágua impediu também, nesta terça-feira (20), a celebração de festividades católicas nas ruas da cidade de Masaya. As festas de São Jerônimo costumam acontecer de setembro a novembro, sendo consideradas as festividades mais longas do país.

O advogado Yader Morazán lembra que manifestar atos religiosos é um direito previsto no artigo 69 da Constituição da Nicarágua. Falando ao Despacho 505, ele destaca que a Polícia deveria eliminar as condições que impedem o exercício religioso, não o contrário.

Fonte: Guia-me com informações de 100% NOTICIAS E DESPACHO 505



Loading...

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Vamos supor que você esteja bem com isso, mas você pode optar por não participar, se desejar. Aceito Leia Mais