Ex-gay se reconcilia com Jesus e forma uma família


Jim Domen e sua família. (Foto: Divulgação/Site Jim Domen)
Jim Domen e sua família. (Foto: Divulgação/Site Jim Domen)

Jim Domen nasceu num lar cristão. Seu pai era policial e sua mãe bibliotecária. Ele conta que se sentia muito amado, mas se achava diferente por não agir como os outros meninos que gostavam de esportes e garotas.

Em vez disso, Jim se interessava por artes e design. Por ser criativo, ele notava coisas que os outros meninos não notavam. Porém, quando chegou ao 7º ano de seus estudos, começou também a sentir atração por meninos.

Ele lembra que não tinha um bom relacionamento com o pai. “Ele nunca me machucou e nunca me abusou de forma alguma. Era um bom homem, um bom policial e uma pessoa justa”, disse ao destacar que isso não foi o bastante para um relacionamento entre pai e filho.

“Acho que sou homossexual”

“Tivemos alguns bons momentos juntos, mas é importante observar que fazer coisas divertidas não substituem o que se deve fazer para construir um relacionamento saudável”, disse.

Enquanto Jim crescia, crescia também a atração por pessoas do mesmo sexo. “Porém, até o pensamento de ‘ser gay’ era algo repugnante para mim”, confessou.

Até que, um dia, Jim decidiu conversar com seus pais sobre suas lutas internas. “Acho que sou homossexual”, ele começou. O pai perguntou há quanto tempo ele estava lidando com aqueles sentimentos e ele disse que “há alguns anos”.

Ao ouvir isso, o pai que nunca chorava, chegou a soluçar incontrolavelmente. O silêncio foi constrangedor e ninguém voltou a falar sobre o assunto, mesmo depois de alguns anos.

Até seus 23 anos, Jim nunca havia se manifestado de forma homossexual, até decidir viver o “estilo de vida gay”. Ele disse que “no começo foi divertido”, mas depois de 5 anos chegou ao fundo do poço.

Jim se descreveu como “perdido, deprimido e mais solitário do que nunca”. Ele teve um parceiro sexual que acabou o abandonando e levando todo o seu dinheiro. Sem nada, Jim decidiu voltar para casa.

“No dia 8 de junho de 2002, ouvi a voz de Deus me dizendo para voltar para Ele”, contou Jim ao dizer que perdeu todos os seus bens materiais, mas não o relacionamento com o Pai.

“Deus nunca me deixou”

Jim revelou que Deus mudou sua vida. “Eu me deitei no chão e disse: Deus, eu sou seu de novo”, lembrou. Ele disse que, ao agir assim, sentiu que Deus nunca o havia abandonado.

“Ele nunca me deixou. Ele continuou a falar comigo”, disse ao contar também que sua família o recebeu de braços abertos e o ajudou a encontrar a cura.

Ao entregar a vida a Jesus, as coisas mudaram completamente. Jim explicou que seus olhos se abriram e ele percebeu que sua identidade estava em Deus e não em sua opção sexual.

“Sua tentação não precisa ser a sua identidade e isso serve para qualquer pessoa. Não importa qual seja a sua tentação, você não precisa se identificar de acordo com ela.

Jim conta que “sua fome” pelas Escrituras se tornou insaciável. Atualmente, ele frequenta uma igreja, lê a Bíblia e afirma ter encontrado a paz e o amor que tanto procurava.

Ele também voltou para a faculdade e concluiu seu mestrado em divindade. Foi na faculdade que Jim conheceu sua futura esposa, Amanda. Eles se apaixonaram, se casaram e agora têm três filhos.

Em sua caminhada de fé, Jim fundou a Church United com o objetivo de moldar a cultura moral das comunidades na Califórnia. Ele conta que sua estratégia é treinar e equipar pastores para serem transformadores de cultura.

Os pastores, então, saem “em chamas” para pregar sobre Jesus com ousadia e para falar sobre a cosmovisão bíblica em suas congregações.

Um alerta aos pais

Hoje em dia, Jim incentiva os pais a não desistirem dos filhos que lutam contra a atração por pessoas do mesmo sexo. Ele diz que é fundamental encontrar o equilíbrio entre permanecer firme em suas crenças cristãs e amar incondicionalmente os filhos.

“Seu filho pode estar ferido de maneiras que você talvez não seja capaz de ver. A expressão dessa mágoa pode se manifestar de maneiras muito dolorosas para alguém suportar”, explicou.

“Entregue-se aos braços de Jesus e incline-se ainda mais para Ele. Só quando você fizer isso, você terá o amor que precisa para oferecer ao seu filho”, continuou.

Jim disse que acredita que o poder de um pai e uma mãe que ora pode mover montanhas. Ele terminou de escrever um livro sobre sua história, onde destacou que sua mãe nunca deixou de orar por sua vida.

Fonte: Guia-me com informações de CBN News



Loading...

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Vamos supor que você esteja bem com isso, mas você pode optar por não participar, se desejar. Aceito Leia Mais