Igreja brasileira celebra o Dia Nacional da Escola Bíblica Dominical


Grupo de estudo da Bíblia
Grupo de estudo da Bíblia

Neste domingo (18) de Setembro, no Brasil, a igreja comemora o dia da Escola Bíblica Dominical (EBD). Fundada em 20 de Julho de 1780, na cidade de Gloucester, na Inglaterra, a Escola Dominical começou em um local onde a desigualdade social e o analfabetismo era a maioria entre a população.

E tudo isso começou graças a uma ideia do jornalista Robert Raikes que se incomodava ao ver crianças sem ter o que fazer no dia de domingo. Dessa forma, eles ficavam nas ruas, sem nenhuma ocupação.

Isso porque as crianças pobres trabalhavam 12 horas por dia de segunda a sábado nas fábricas da região, já que não havia escolas públicas. Porém, no domingo, eles não tinham o que fazer e isso deixou Raikes preocupado com o futuro desses meninos e meninas.

O jornalista Raikes teve a brilhante ideia de criar uma escola que funcionasse aos domingos e ensinasse princípios cristãos, boas maneiras, moral e civismo.

Daí surgiu a Escola Dominical, fundada no final do século 18 e recebeu o apoio de algumas senhoras que iam de casa em casa explicar sobre as aulas e convencer aos pais mandarem os filhos para as aulas aos domingos.

A procura cresceu tanto que em três anos já havia sete escolas, com média de 30 alunos cada. E o objetivo de Raikes foi alcançado, pois, além de tirar essas crianças das ruas, em 12 anos, não existia nenhum criminoso para ser julgado naquela cidade.

Importância do ensino 

De acordo com o professor de Escola Bíblica Dominical (EBD), Ken Braddy, que é diretor do instituto Lifeway Christian Resources, existem fatores importantes e que definem a qualidade do ensino na EBD. 

“Vi que os grupos mais saudáveis têm um bom equilíbrio, um professor, um líder de grupo que pode apresentar conteúdo, mas também que entende a importância de ajudar as pessoas a se conectarem em um relacionamento dentro do grupo”, conta sobre a importância de valorizar a comunhão em uma classe de Escola Dominical.

Na visão de Braddy, a forma de potencializar o alcance da EBD inclui em definir um “ponto ideal” para o tamanho de um grupo.

“Somos uma sociedade muito instável, e as pessoas são solitárias. Elas passaram alguns anos isoladas por causa da pandemia, e este é um momento maravilhoso para a igreja perceber que não apenas devemos entregar conteúdo bíblico forte, mas também precisamos elevar (…) a comunidade e a conexão”, argumentou o professor.

Seja Um Professor Inesquecível e Líder Eficaz da Escola Bíblica Dominical

Como é a Escola Bíblica Dominical da Igreja Perseguida?

No Brasil, muitas igrejas mantêm a tradição de se reunirem aos domingos para estudar a Bíblia em classes. Algumas se dividem por idade, outras por tema, mas todas têm algo em comum: o desejo de aprender mais sobre a palavra de Deus.

Do mesmo modo, cristãos do mundo todo se reúnem em EBDs, conhecidas internacionalmente como Sunday Schools. Nos países em que há perseguição, essa prática é um grande desafio e gera características singulares em cada nação. Veja alguns exemplos a seguir.

Bangladesh

As EBDs locais acontecem em salas fechadas, o professor usa a lousa no centro da sala e as turmas são divididas por gênero. Homens em uma parte e mulheres em outra. Apesar da perseguição, na igreja eles conseguem ter acesso à Bíblia completa e vão bem vestidos, lembrando a prática de muitos brasileiros de separar roupas especiais para usar na igreja no domingo.

Filipinas

As EBDs nas Filipinas focam nas crianças. As aulas acontecem ao ar livre, contando apenas com a proteção da lona em caso de chuva. As crianças têm um espaço pequeno e ficam reunidas. Depois da oração e estudo, usam a mesa para fazer atividades. As professoras dos pequenos são jovens voluntárias como em muitas igrejas brasileiras.

Etiópia

Como no Brasil, a classe de EBD das crianças na Etiópia distribui material para que todos os alunos acompanhem as aulas. Na foto abaixo, as crianças receberam Bíblias ilustradas que ajudam os pequenos a compreenderem as histórias. As crianças cuidam com muito carinho do material.

China

Já os cristãos chineses precisam se reunir em segredo. As aulas acontecem em salas escondidas, com a leitura individual de parte da Bíblia e discussão do texto em pequenos grupos. Em muitos locais do país tudo precisa acontecer em segredo.

Fonte: Comunhão e Portas Abertas

SIGA O FOLHAGOSPEL NO INSTAGRAM: @FOLHAGOSPEL



Loading...

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Vamos supor que você esteja bem com isso, mas você pode optar por não participar, se desejar. Aceito Leia Mais