Maioria dos pastores diz que mulheres podem ensinar e liderar ministérios, mostra pesquisa


Pastora pregando (Foto da internet para ilustração)
Pastora pregando (Foto da internet para ilustração)

A maioria dos pastores afirma que mulheres podem ensinar e liderar ministérios, mostrou uma pesquisa recente da Lifeway Research.

O estudo perguntou a pastores dos Estados Unidos, de diferentes denominações, se mulheres têm permissão para exercer papéis de liderança em suas igrejas.

A maioria respondeu que mulheres podem liderar o ministério infantil (94%), comitês (92%), o ministério de adolescentes (89%) e ministrar estudo bíblico para adultos (85%) em suas congregações.

Menos pastores disseram que mulheres podem ser diaconisa (64%) ou pastora sênior (55%).

Apenas 1% dos entrevistados respondeu que nenhuma dessas funções são permitidas para o gênero feminino. E menos de 1% disse que não tem certeza sobre o assunto.

“Alguém sem contexto pode pensar que diferenças de opinião sobre onde as mulheres podem servir na igreja são simplesmente perspectivas inconstantes ou arcaicas. Mas essas não são questões de opinião tanto quanto de interpretação bíblica”, afirmou Scott McConnell, diretor executivo da Lifeway Research.

“Esta questão tem sido debatida há séculos com estudiosos bíblicos de diferentes denominações chegando a diferentes conclusões sobre o que as Escrituras significam”.

Com diversas correntes teológicas para a interpretação da Bíblia, as denominações têm níveis variados de abertura para mulheres servindo no ministério, especialmente nos cargos de diácono e pastor sênior.

De acordo com a pesquisa, a maioria dos pastores metodistas (88%), pentecostais (83%), presbiterianos/reformados (81%), não denominacionais (79%) e luteranos (60%) afirmaram que suas igrejas permitem que as mulheres sejam diaconisas.

Cerca da metade dos pastores do movimento restauracionista (49%) concordam com mulheres no diaconato. Os batistas são os que menos concordam (29%) que uma mulher pode atuar como diaconisa em suas igrejas.

Já em relação ao pastorado feminino, a maioria dos líderes metodistas (94%), pentecostais (78%) e presbiterianos/reformados (77%) responderam que uma mulher pode ser a pastora sênior em suas congregações.

A porcentagem diminui entre os pastores luteranos (47%) e não denominacionais (43%). Menos pastores do movimento restauracionista (25%) e batistas (14%) declaram que suas igrejas aceitam mulheres como pastoras seniores.

“Vale a pena notar que as denominações dentro dessas categorias podem diferir muito sobre esse tópico, como é frequentemente visto entre diferentes denominações luteranas e presbiterianas”, ponderou McConnell.

Fonte: Guia-me com informações de Lifeway Research



Loading...

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Vamos supor que você esteja bem com isso, mas você pode optar por não participar, se desejar. Aceito Leia Mais