Morre o arcebispo emérito de São Paulo, Dom Cláudio Hummes, aos 87 anos


Morre aos 87 anos, Dom Cláudio Hummes, que lutava contra um câncer de pulmão
Morre aos 87 anos, Dom Cláudio Hummes, que lutava contra um câncer de pulmão

O cardeal Dom Cláudio Hummes, arcebispo emérito de São Paulo, morreu hoje aos 87 anos na capital paulista. A informação foi confirmada em nota pela Arquidiocese de São Paulo.

De acordo com a entidade, o religioso morreu após “prolongada enfermidade, que suportou com paciência e fé em Deus”. Em março deste ano, ele renunciou à presidência da Ceama (Conferência Eclesial da Amazônia) diante do agravamento de um câncer no pulmão.

Nascido em Salvador do Sul (RS), dom Cláudio foi arcebispo de Fortaleza e de São Paulo. De 2006 a 2011, trabalhou ao lado do Papa Bento 16 como prefeito da Congregação para o Clero. Ligado a temas ambientais, ele foi presidente da Ceama e da Comissão Episcopal para a Amazônia da CNBB (Conferência Nacional dos Bispos do Brasil).

O arcebispo de São Paulo, dom Odilo Scherer, pediu que os fiéis agradeçam pela vida do cardeal Hummes em oração. O corpo será velado ainda hoje na Catedral da Sé, em horário a ser divulgado.

Dom Cláudio inspirou nome de papa Francisco

Em 2013, o papa Francisco afirmou a jornalistas que escolheu o nome de São Francisco de Assis após ser lembrado por Dom Cláudio, que estava a seu lado no momento da eleição, de que era preciso se lembrar dos pobres.

“Tinha ao meu lado o Cardeal Cláudio Hummes, o arcebispo emérito de São Paulo e também prefeito emérito da Congregação para o Clero: um grande amigo, um grande amigo! Quando o caso começava a tornar-se um pouco ‘perigoso’, ele animava-me”, disse Francisco.

O Vatican News, canal oficial do Vaticano, lamentou a morte de dom Cláudio em nota, ressaltando a relação próxima com o papa.

“Ele tinha 87 anos e um grande coração pulsante pelos pobres. Os povos indígenas da Amazônia, como os missionários consagrados e leigos; os sedentos e famintos do ‘Sul do mundo’, como os operários mal pagos ou as vítimas das mudanças climáticas. Ele os tinha em mente o tempo todo”, disseram.

Em junho do ano passado, depois que dom Cláudio recebeu um doutorado honoris causa da Universidade de Rosário, na Argentina, o papa Francisco escreveu a ele. O pontífice agradeceu pelo “exemplo que me deu durante a sua vida”, e descreveu o amigo como um dos “líderes que têm a coragem de abrir trilhas, caminhos e de provocar sonhos; a coragem de continuar sempre olhando o horizonte sobre os problemas e dificuldades do caminho”.

Folha Gospel com informações de UOL e Vatican News

SIGA O FOLHAGOSPEL NO INSTAGRAM: @FOLHAGOSPEL



Loading...

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Vamos supor que você esteja bem com isso, mas você pode optar por não participar, se desejar. Aceito Leia Mais