Pastor de Michelle Bolsonaro é acusado de acobertar golpe em fiéis da igreja


Michelle Bolsonaro e o pastor Josué Valandro Jr.
Michelle Bolsonaro e o pastor Josué Valandro Jr.

O pastor Josué Valandro Jr., guru religioso da primeira-dama Michelle Bolsonaro, é acusado de abafar um golpe financeiro aplicado pelo também pastor Oséias Oliveira de Abreu, ex-líder da congregação evangélica que ele dirige, a Igreja Batista Atitude na Barra da Tijuca.

As informações são da coluna de Rodrigo Rangel, no site Metrópoles.

Duas fiéis da igreja evangélica, a economista Alessandra Costa de Azevedo e a dona de casa Sigrid Engersen de Souza, afirmam ter transferido, em 2017, quase R$ 1 milhão para uma conta nos Estados Unidos em nome de uma empresa do pastor Oséias. Ele sumiu com R$ 200 mil de uma fiel e R$ 726 mil de outra. Elas afirmam que o pastor havia prometido um retorno financeiro com o investimento no exterior, mas o dinheiro desapareceu.

O caso ocorreu na Barra da Tijuca, Rio de Janeiro, e resultou em processos contra Oséias Oliveira de Abreu e também contra a igreja.

As duas afirmam nos autos do processo ter procurado na época Valandro Jr., o guru de Michelle Bolsonaro, para denunciar o golpe e pedir ajuda, mas ele preferiu agir para acobertar o caso.

A dona de casa Sigrid Engersen de Souza, que perdeu R$ 726 mil reais no golpe, incluiu o pastor de Michelle Bolsonaro no processo e anexou entre as provas mensagens de WhatsApp trocadas com ele:

“Se arrependa enquanto é tempo! A igreja nada tem a ver com isso e vc sabe! Faz de quem te apoiou a vida inteira teus inimigos? Acha que Deus vai abençoar isso?”, escreveu o pastor Valandro à fiel.

A dona de casa afirma ter entendido a mensagem como uma tentativa de provocar “temor” e, assim, impedir que o caso fosse levado adiante. “Quando o pastor Josué descobriu (o processo contra a igreja), além de ter me amaldiçoado, ele começou a denegrir a minha imagem na igreja e excluiu a minha conta na plataforma da igreja”, diz.

Em abril de 2022, cinco anos depois, Josué falou nos processos que tinha conhecimento da ação, mas insistiu que a igreja não tem envolvimento.

Pouco depois de receber o dinheiro das duas fiéis, em 2017, o pastor Oséias foi preso por estelionato, em decorrência de outras denúncias realizadas por fiéis. Em sua mansão na Barra da Tijuca, a polícia encontrou joias e pedras preciosas.

A Igreja Batista Atitude, que foi fundada por Valandro no início dos anos 2000, conta atualmente com 17 filiais, entre elas uma nos Estados Unidos e outra no Canadá.

A igreja ficou mais conhecida após passar a ser frequentada por Michelle Bolsonaro, que atuava como intérprete de libras nos cultos. Na campanha de 2018, o então candidato Jair Bolsonaro subiu no palco ao lado do pastor Valandro, que orou para que ele vencesse o pleito.

Folha Gospel com informações de Revista Fórum e Hora do Povo



Loading...

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Vamos supor que você esteja bem com isso, mas você pode optar por não participar, se desejar. Aceito Leia Mais