Pesquisa mostra a importância dos pais no desenvolvimento infantil


Pai e filho
Pai e filho

Uma pesquisa do Institute for Family Studies demonstrou a importância dos pais para o desenvolvimento infantil.

Dessa forma, como constatou o resultado da pesquisa, meninos que crescem na ausência dos pais biológicos, tem a metade da probabilidade de se formar na faculdade do que colegas que moram com os pais em casa. Esse resultado permanece estável mesmo quando comparado com a raça, renda familiar, QI e outros fatores. 

Dada a pesquisa, meninos que têm a ausência paterna, também são duas vezes mais propensos a serem “ociosos” (sem vínculo empregatício) aos 20 anos.  Além disso,  eles são mais propensos a terem problemas com autoridades ou “leis” em geral, quando completam 35 anos. 

Os dados apresentam como a ausência do pai é uma das crises enfrentadas atualmente em nossa cultura.

De acordo com John Stonstreet, que atua como presidente do Colson Center for Christian Worldview, e é autor e palestrante cristão, nossa cultura chegou a esse ponto através da revolução sexual, que priorizou a autonomia sobre a responsabilidade.

Outro fatores contribuíram para o declínio dos valores familiares. Entre eles, o divórcio, que tornou-se legalmente mais fácil. Por outro lado, a demanda do casamento do mesmo sexo, e até outras formas de reprodução assistida afirmam que crianças são mais frutos de um processo comercial do que conjugal.

Segundo a pesquisa 32% dos meninos dos Estados Unidos estão crescendo em lares sem seus pais biológicos. John Stonstreet também avalia que o crescimento social, emocional e espiritual de maneira saudável depende da presença dos pais, que são balizadores dos comportamentos saudáveis e não saudáveis.

Além disso, ele cita a Palavra de Deus e afirma que o exemplo é melhor maneira de ensinar. Da mesma forma, Jesus orientou os seus seguidores a imitá-lo após lavar os pés dos discípulos.

“Ora, se eu, Senhor e Mestre, vos lavei os pés, vós deveis também lavar os pés uns aos outros”. (João 13:14).

Além disso, o Apóstolo Paulo, em sua carta direcionada para Tito, ele instruiu às mulheres de mais idade a “ensinar o que é bom”, “treinar mulheres mais jovens” para elas serem “autocontroladas”, “puras” e “gentis”.

Em conclusão, Stonstreet disse sobre a importância do posicionamento da igreja, e que os cristãos devem desafiar os homens e mulheres assumirem o seu lugar na paternidade. E também os cristãos devem assumir a sua responsabilidade, como pais e mães independente da pressão cultural que possam enfrentar.

Fonte: Comunhão com informações de The Christian Post



Loading...

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Vamos supor que você esteja bem com isso, mas você pode optar por não participar, se desejar. Aceito Leia Mais