Seminário batista é bombardeado pelo exército e deixa feridos em Mianmar


Seminário teológico batista foi bombardeado pelo exército em Mianmar
Seminário teológico batista foi bombardeado pelo exército em Mianmar

Um Seminário Teológico Batista em Mianmar foi bombardeado pelo exército birmanês na quinta-feira (3), deixando quatro estudantes feridos.

De acordo com o International Christian Concern (ICC), o ataque aconteceu no estado de Shan, enquanto os alunos dormiam no dormitório da escola, fundada pela Convenção Batista Kachin.

Quatro estudantes, com idades entre 21 e 27 anos, foram atingidos por estilhaços e tiveram ferimentos sem risco de vida.

Um vídeo gravado pelos alunos e divulgado nas redes sociais mostrou os danos do bombardeio.

O ataque deixou buracos nas paredes, janelas e roupas dos seminaristas. Outro vídeo mostrou um aluno sendo levado para receber atendimento médico.

“O ataque contra esta escola bíblica Kachin certamente não foi um acidente”, afirmou Gina Goh, gerente regional da ICC para o Sudeste Asiático.

“Em vez disso, o Tatmadaw alvejou deliberadamente uma instalação cristã, sabendo o quão importante é a fé para o povo Kachin. Este regime de junta desprezível não deve ser mais tolerado pela comunidade internacional e precisa ser removido imediatamente”.

Cristãos atingidos

Desde o golpe militar de fevereiro de 2021 no Mianmar, o exército birmanês governa o país com violência, atacando civis e aterrorizando cidadãos. Os cristãos foram particularmente atingidos: mais de 1.200 casas e 11 igrejas foram incendiadas apenas em Thantlang.

“A guerra civil não está melhorando; todos os dias ocorrem batalhas em todos os estados e em todas as regiões”, relatou um líder de um ministério local, ao Christian Aid Mission.

“Não há segurança em nenhum lugar – assassinatos, bombardeios, tiros e prisões acontecem em todos os lugares”.

De acordo com a organização missionária Aid Mission, muitos birmaneses fugiram para as selvas para escapar do conflito, outros se refugiaram em outras nações.

O Mianmar ocupa o 12° lugar na Lista Mundial da Perseguição 2022 da Missão Portas Abertas, de países mais difíceis para ser um cristão.

Fonte: Guia-me com informações de The Christian Post



Loading...

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Vamos supor que você esteja bem com isso, mas você pode optar por não participar, se desejar. Aceito Leia Mais