Silas Malafaia nega relação com empresário que lesou a modelo Sasha Meneghel


Pastor Silas Malafaia
Pastor Silas Malafaia

Nesta terça-feira (28), o pastor Silas Malafaia gravou um vídeo para rebater a manchete do jornal O Globo, que citou o nome dele em uma matéria sobre um empresário que deu um golpe financeiro na modelo Sasha Meneghel.

Malafaia explicou que foi procurado, por meio do WhatsApp, por um jornalista. Ele relatou que o autor da matéria disse que seu nome seria citado no meio da reportagem.

Sasha foi vítima do empresário Francisley Valdevino da Silva, dono de uma empresa que promovia o aluguel de criptomoedas. Ela teve um prejuízo de R$ 1,2 milhão.

Segundo o religioso, a manchete é tendenciosa e tem o objetivo de manchar sua imagem.

– Se tem um pastor que fala com tudo o que é jornalista, sobre todo tipo de assunto, esse camarada sou eu. Eu não escondo de ninguém. Eu sempre dei atenção à imprensa. (…) Agora, olhem a safadeza da matéria tendenciosa do Globo para tentar me denegrir. (…) Alguns dias atrás, eu recebi um zap de um jornalista de O Globo me pedindo informações sobre uma pessoa, o Francis, que já foi meu sócio numa empresa de livros gospel. E ele disse assim: ‘lá no meio [da matéria] eu vou te citar, você quer falar?’. Primeira mentira: lá no meio não! Eu sou a manchete da matéria! Segunda mentira: que eu era sócia de uma empresa de tecnologia, que ensinava pessoas a abrir uma empresa. Mentira! Nunca fui sócio de empresa de tecnologia nenhuma. Aí eu disse para o jornalista e ele disse: ‘não, eu vou corrigir’. Só que o leite foi derramado. A matéria já foi dada. Agora, vamos aos fatos, à verdade: um jornalista não sabe disso quando eles vão pesquisar para fazer a matéria? (…) Eu me associei com um camarada que tem mais de 130 empresas, empresas reais. E ele foi sócio meu nessa empresa. (…) Quando ele começou a deixar de pagar [alguém], eu caí fora da sociedade. (…) Eu desafio um pastor, um evangélico, uma pessoa no país a dizer que eu insinuei ou que eu disse: ‘invista lá na empresa de criptomoeda’. Pelo contrário, eu sou pastor de centenas de milhares de pessoas. Nunca indiquei isso pra um membro da minha igreja. E, ano passado, alertei o povo da minha igreja sobre cuidado com ganho fácil. (…) Isso é uma maneira sutil, perversa de me envolver. (…) Eu não tenho nada com isso. (…) Não tentem denegrir alguém pelo erro de outros. Eu nunca lesei ninguém, muito menos em criptomoeda. Isso é uma tremenda de uma safadeza para tentar me denegrir. (…) Eu estou aqui indignado. Por isso que estou dando esse esclarecimento – falou.

Sobre o caso

No início de junho, foi notificado que Sasha Meneghel e seu marido, João Figueiredo, acionaram a Justiça contra a empresa Rental Coins. Eles decidiram mover uma ação após não conseguirem reaver um dinheiro investido, segundo informações do portal Metrópoles.

A empresa, que é de Curitiba, Paraná, capta investidores do Brasil e oferece rendimentos fixos ao mês com a suposta locação de criptomoedas.

Segundo um documento, João e Sasha querem reparação por danos materiais e morais por causa de uma suposta fraude aplicada pelo grupo econômico, que teria utilizado uma “sofisticada cadeia de subterfúgios para constituir pirâmide financeira e aplicar golpe nos autores”.

A ação é acompanhada pelo juiz Erick Antônio Gomes da 14ª Vara Cível de Curitiba do Tribunal de Justiça do Paraná. O investimento inicial do casal teria sido de R$ 50 mil. Além disso, eles teriam feito outros dois contratos com um aporte de mais de R$ 1.267.000.

Davi Zocal dos Santos, agente de investimentos da Rental Coins, é acusado de “abuso da confiança e da fé religiosa”, uma vez que conheceu Sasha e João em uma igreja evangélica. Por meio de Davi, o casal teria sido apresentado ao dono da empresa, Francisley Valdevino da Silva.

Fonte: Pleno.News

SIGA O FOLHAGOSPEL NO INSTAGRAM: @FOLHAGOSPEL



Loading...

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Vamos supor que você esteja bem com isso, mas você pode optar por não participar, se desejar. Aceito Leia Mais